OS 9 MESES DE GRAVIDEZ

Mamãe

Na primeira e segunda semanas do ciclo menstrual, o útero está sendo preparado para abrigar o futuro bebê. A camada interna do útero (endométrio) torna-se espessa e ricamente vascularizada pela ação dos hormônios produzidos pelos ovários.

Na terceira semana do ciclo menstrual, o embrião em desenvolvimento parte da trompa em direção ao útero. No final desta semana ou no início da próxima vai começar o processo de implantação do embrião no útero. Durante esse processo, pode haver um pequeno sangramento vaginal, mas não é nada grave. Muitas mulheres nem se dão conta de que a implantação está começando.

No final da quarta semana do ciclo menstrual, começam a surgir os primeiros sinais da gravidez. Alguns deles são muitos semelhantes ao que se costuma sentir na fase pré-menstrual, como cansaço, sensibilidade mamária e alterações de humor.

No primeiro mês, a mulher tem que se dedicar a hábitos saudáveis para que proporcione ao bebê todos os nutrientes de que ele precisa. Deve fazer uma dieta rica em frutas e vegetais, procurar praticar exercícios físicos regularmente, sob orientação médica, ingerir pelo menos um litro e meio de água e consumir leite e derivados diariamente.

Bebê – 1º mês (1ª a 4ª semana)

O método de contagem da idade gestacional começa mesmo antes de ter acontecido a concepção (fecundação). Logo, a semana 1 começa com o primeiro dia da última menstruação da mamãe.

O desenvolvimento do bebê pode ser dividido em duas fases importantes: o período embrionário e o período fetal.

O período embrionário corresponde às 9 primeiras semanas, desde o dia da concepção até quando todos os órgãos e sistemas se formam.

O período fetal inicia-se a partir da décima semana pós-concepção e vai até o nascimento. Geralmente, o nascimento acontece com 40 semanas, mas pode variar de 37 a 42 semanas.

A fusão dos núcleos do espermatozoide e do óvulo marca a formação do zigoto e o fim da fecundação. É nesse momento que o sexo do bebê é determinado, graças ao cromossomo sexual do espermatozoide do papai (X ou Y).

Mamãe – 2º mês (5ª a 8ª semana)

Nesta fase, uma série de exames (rubéola, tipo de sangue e fator Rh, entre outros) é realizada para avaliar a saúde materna e possíveis problemas que possam atingir o bebê.

Geralmente, as mulheres queixam-se de náuseas, vômitos, má digestão e salivação excessiva.

Durante os três primeiros meses, pode haver perda de peso causada por náuseas e vômitos.

Bebê – 2º mês (5ª a 8ª semana)

Na quinta semana de gestação, o embrião apresenta olhos, ouvidos, coração, fígado, brotos dos membros superiores e inferiores e, principalmente, formação do cérebro.

Na semana seguinte, o coração é rudimentar, mas muitas vezes já se verificam seus batimentos por meio de um ultrassom.

A sétima semana é marcada por mudanças no rosto, membros e corpo do embrião. Já começam a aparecer os pulmões e inicia-se o crescimento do cordão umbilical.

A fase embrião está completa quando ele atinge nove semanas.

Mamãe – 3º mês (9ª a 12ª semana)

Neste momento da gravidez, já é possível sentir o aumento do volume do útero na região acima dos pelos pubianos. A placenta funciona totalmente. Ela é a estrutura responsável pela troca de nutrientes entre mãe e feto, circulação e oxigenação.

Recomenda-se realizar ultrassonografia obstétrica morfológica de 1° trimestre, entre 10 e 14 semanas.

Bebê – 3º mês (9ª a 12ª semana)

O bebê já pode se movimentar porque seus músculos começam a se desenvolver.

Com dez semanas de gestação, vão acontecer o crescimento e maturação das estruturas formadas durante o período embrionário.

Na 11ª semana, começa a ossificação, surgem pelos e começam a definir-se anatomicamente os órgãos sexuais. Os rins produzem urina.

Mamãe – 4º mês (13ª a 16ª semana)

A mulher sofre mudanças nos seios. Eles atingem seu tamanho máximo, as aréolas escurecem, os bicos aumentam e aparece o colostro, o precursor do leite propriamente dito, que vai ser essencial pro bebê nos seus primeiros momentos de vida. Estão, portanto, preparando-se para a amamentação.

Bebê – 4º mês (13ª a 16ª semana)

Na 13ª semana começam a delinear-se as costelas, ossos do crânio e dos membros. Nariz e queixo já estão bem definidos, logo em seguida, na 14ª semana, as sobrancelhas estão aparecendo, os cabelos começam a nascer. A partir da 15ª semana, o bebê já começa a abrir e fechar as mãos e, na 16ª semana, mantém a cabeça ereta e pode apresentar algumas expressões. Os ossos já aparecem.

Mamãe – 5º mês (17ª a 20ª semana)

O fundo do útero atinge o umbigo. A pele muda bastante e podem surgir estrias e manchas no rosto.

Podem aparecer também acne, prurido (coceira na pele) e a linha nigra (uma linha divisória escura no abdome que passa pelo umbigo).

Alguns problemas que podem surgir nessa época e que devem ser obrigatoriamente comunicados ao médico: febre, sangramentos (após relações por exemplo), corrimentos, perda de líquidos pela vagina, dores de cabeça, zumbido no ouvido, insônia ou sono exagerado, nervosismo, agressividade, angústia, inchaço, coceiras, dores de estômago, diarreia ou obstipação (intestino preso), queimação de estômago, problemas dentários, dor ao urinar ou dor nas costas. A partir de agora e até o final da gravidez, o relato de qualquer desses sinais é fundamental para o médico.

Bebê – 5º mês (17ª a 20ª semana)

A partir da 18ª semana, o bebê já pode ouvir vozes, principalmente a da mãe, o cérebro começa a decifrar os sentidos como tato e audição. O bebê sente os gestos de carinho sobre o abdome da mãe.

Realiza cambalhotas, chupa dedo, senta de pernas cruzadas, muda de posição para se recostar. Responde a estímulos externos, como luz forte e sons muitos altos. Já na 19ª semana, os movimentos passam a ser voluntários.

Na 20ª, os olhos do bebê já estão sensíveis à luz, ele ouve os batimentos cardíacos maternos, sente mais nitidamente a sensação de calor e frio.

Mamãe – 6º mês (21ª a 24ª semana)

A mulher pode sentir-se mais incomodada pelo tamanho e peso do útero.

A coluna vertebral curva-se para frente, as articulações pélvicas começam a relaxar para permitir a passagem do bebê no nascimento.

Aumenta o apetite e se a futura mamãe não se cuidar pode engordar demais. Com o aumento do peso, ocorrem dores nos pés e pernas. É aconselhável descansar com os membros elevados e usar sapatos confortáveis.

Agendar o ultrassom morfológico de 2° trimestre.

Bebê – 6º mês (21ª a 24ª semana)

Na 21ª semana, quase todos os sentidos funcionam. O bebê chora e ensaia um meio sorriso. Paladar, tato e olfato estão desenvolvidos. Distingue claro e escuro. A audição está totalmente pronta e as vozes que ele ouve vão habituá-lo à língua.

Com 22 semanas, há uma melhora de sua sensibilidade tátil que o possibilita conhecer melhor tudo ao seu redor. Sabe onde estão as partes de seu corpo, as quais domina.

O bebê descobre o mundo que o cerca. Sente a membrana da bolsa, brinca com o líquido, brinca com o cordão umbilical. Bebe o líquido e faz xixi, pode apresentar soluços, o que preocupa as mães que não sabem o que está acontecendo.

Mamãe – 7º mês (25ª a 28ª semana)

O aumento do útero comprime os órgãos digestivos. Há um afrouxamento da musculatura do sistema digestivo, levando à prisão do ventre, azia e má digestão.

Quando o bebê se movimenta, surgem dores.

Seu médico poderá pedir alguns exames de controle que se façam necessários.

Bebê – 7º mês (25ª a 28ª semana)

Em geral, os bebês posicionam-se de cabeça para baixo.

Na 26ª semana, o bebê ainda é bem magro, mas já existe gordura em seu corpinho. Sua pele ainda é vermelha.

O rosto está mais definido a cada dia que passa, com as feições que terá quando nascer. Época ideal para realização do ultrassom obstétrico 3D/4D.

Com 28 semanas, o bebê já tem seus órgãos todos formados, restando apenas um aperfeiçoamento maior.

Mamãe – 8º mês (29ª a 32ª semana)

Os tornozelos começam a inchar devido à pressão do útero sobre os vasos sanguíneos, podendo aparecer hemorroidas e varizes.

A postura para sentar e deitar é cada vez mais importante, devendo ser adotada a posição lateral esquerda para descanso. Para deitar-se e levantar-se é preciso ter cuidado, adotando uma postura lateral e apoiando-se com a mão vagarosamente.

A alimentação deve ser caprichada, mas não exagerada, pois a criança em seu ventre precisa cada vez mais de vitaminas e sais minerais.

Bebê – 8º mês (29ª a 32ª semana)

Com 30 semanas, o líquido amniótico que protege o bebê está em quantidade suficiente para proteção contra choques e para que não se sinta apertado e incomodado pelas contrações, que já começam a trabalhar o útero para o parto normal.

No final de 32 semanas, os sistemas respiratório e digestivo estão quase completamente formados.

Mamãe – 9º mês (33ª a 36ª semana)

É o momento de deixar tudo pronto para a ida à maternidade. O ideal é visitar a maternidade, conhecer os procedimentos para dar mais segurança.

Nesta fase, as contrações de Braxton Hicks aumentam. A mulher pode referir pontadas na vagina, como se o bebê estivesse “cutucando”. Esse incômodo é decorrente da compressão ocasionada pelo feto dentro do útero.

Bebê – 9º mês (33ª a 36ª semana)

Com 33 semanas, o bebê está em posição de nascimento, ou deveria estar, com a cabeça voltada para baixo.

Na 34ª semana, as mãos do bebê agarram com firmeza.

Na semana seguinte a cabeça do bebê está posicionada de tal maneira que ela mesma vai começar a trabalhar o colo para o parto, e com 36 semanas, o bebê está completamente desenvolvido.